Restaurante: TOKYO – Bauru, SP

Conheci esse restaurante com uns amigos, desde então passei a frequentar bastante! A mocinha do caixa até já me conhece de tanto que me viu!
O Tokyo é um restaurante por quilo que agrada pessoas que gostam de sushi e pessoas que não gostam, é bem variado!
O pessoal reclama muito do tamanho da fila na hora de pagar, mas aqui em Bauru, tudo é assim!
A cidade de Bauru é péssima de gastronomia, e os restaurantes japoneses(em geral) da cidade tem um custo&benefício péssimo! É cobrado um preço absurdo para uma qualidade muito mediana.

Funcionamento
Das 11:30 às 14:30. Só não abre de domingo.

Ambiente: é restaurante por quilo, então é meio apertado, o lugar é grande e LOTA no almoço.

Atendimento: bom!

Higiene: uma pessoa(que não tem motivo para mentir, ou seja, é verdade) relatou “Eles não acondicionam o lixo corretamente no período da tarde, em frente ao estacionamento conveniado na Batista. Por vezes nem em sacos colocam, ficando as embalagens dos peixes, de papelão e isopor, na calçada, no sol, com um mau cheiro muito forte e moscas, além de restringir a passagem de pedestres. E isso não corresponde com a frequência que eles têm.”
Fiquei meio triste com essa informação, mas a partir de agora é bom eu ficar mais esperta com esse restaurante.

Sushi/Sashimi: eles deixam o sashimi muito tempo exposto, então o sabor dele não é muito legal, não! Mas isso é maldição de restaurante por quilo, é sempre melhor chegar na hora que abre e pegar tudo fresquinho! O corte do sashimi é feito de forma errada,.
Não dá pra exigir o MELHOR SUSHI DO MUNDO num restaurante por quilo, mas dentro das limitações(produção numa escala muito grande), é ótimo!

Tamanho dos sushis: bem maiores do que eu gostaria, corto o niguiri ao meio, não consigo comer sem cortar, fica metade(literalmente) do sushi pra fora da boca. Sério, é bem deselegante!

Estacionamento: existem estacionamentos conveniados com o restaurante, mas é bom tentar chegar antes da 13hr, porque os estacionamentos lotam! Bauru é péssimo nesse aspecto, não tem estacionamentos!

Custo&Benefício: ótimo!

Conclusão: pra quem quer COMER SUSHI ATÉ MORRER E PAGAR BARATO, é um um bom restaurante! Para Bauru(que é MUITO FRACO de restaurante japonês), tá excelente!

(a foto não foi tirada por mim)

Sushis no Tokyo(a foto não foi tirada por mim)

Ambiente.

Endereço:
Praça Rui Barbosa 2048 – Centro
Bauru, SP

Tel:(14) 3208-4757

Anúncios

vai beber o quê?

A grosso modo, você pode beber o que quiser, até um “toddynho”, mas isso é esperto? Então, =/….
Qualquer bebida que vá gordura, não é legal para ser harmonizada com um prato! A gordura dá uma “tampada” nas papilas gustativas, fazendo com que você sinta menos os sabores!

VINHO
Já que a cozinha japonesa se popularizou no mundo todo, é comum se pedir vinho! Mas varia de acordo com a sua preferência em relação ao recheio dos sushis e peixes no sashimi.
– Cogumelos: é indicado um vinho de corpo médio, como um Pinot Noir ou um Chianti Classico, se preferir um branco e seco, um Riesling cai bem também!
-Atum/Salmão: corpo médio ou encorpado, como um Borgonha ou Chardonnay.
-Crustáceos: champanhe ou vinho branco espumante.
-Vegetais/Ovo/Peixe Branco: Sauvignon Blanc ou Chardonnay.

CERVEJA
É uma bebida refrescante, cai bem com sushi e sashimi! Mas eu não me refiro a cervejas de inverno, pois essas são mais pesadas e fortes, atrapalhariam o paladar.

CHÁ VERDE
Normalmente é servido nos restaurantes japoneses(não o de latinha, hein), é uma ÓTIMA PEDIDA! Chá verde é adstringente, limpando o paladar e ajudando na digestão! E ainda contém vitaminas A,B e C.

SAQUÊ
Harmoniza com quase todos os pratos da cozinha japonesa, é sempre interessante pedir saquê! Pode ser tomado em temperatura ambiente ou levemente resfriado, algumas pessoas gostam de tomar quente, mas isso funcionava na época da guerra, em que o saquê era aquecido para disfarçar a baixa qualidade, não existe motivo para tomá-lo assim hoje em dia, a guerra acabou, sabe…

ÁGUA
Dá certo com tudo! Se você não gosta de nenhuma das bebidas citadas, peça uma água! É até bom por conta do sódio presente no shoyu, que fará com que você tenha que se hidratar.

Obs.: Algumas informações foram tiradas do livro “Sushi: técnicas e receitas”, edição da Publifolha, dos autores Kimiko Barber e Hiroki Takemura.

=D.

sushi: nunca comeu e fala que não gosta

Meu querido(a), que mania feia, não? Sua mãe nunca te disse “Como que você sabe que não gosta se nunca provou?”? Não seja ignorante, você não vai morrer se experimentar, o máximo que pode acontecer é: você não gostar e cuspir! Coisa que não é o fim do mundo.

Sushi tá na moda, gente! Uma pessoa que fala “Ai, sei lá, não como peixe cru” é menos interessante do que uma pessoa que tem a curiosidade de experimentar! Já foi comprovado que curiosidade é coisa de gente inteligente, pessoas inteligentes são curiosas, se elas não fossem, elas não iriam atrás de saber das coisas e evoluir! Não experimentar e falar que não gosta, é coisa de JACU!

Primeira vez: não coma um sashimi logo de cara, seja esperto! Se você não vai com a cara do peixe cru, acha que ele vai ser gosmento e etc, não comece por ele, ué! Comece por sushis que não tenham peixe cru, por exemplo: hot roll, hossomaki de pepino, tekamaki e outros.
É legal ir se acostumando com o sabor da cozinha japonesa, experimente o sabor do shoyu aos poucos para ir se acostumando.

É provável: que você não goste muito na 1ª vez! Quem nunca comeu não saberá saborear um sushi logo de cara, não entenderá os sabores, é preciso acostumar o paladar.
Eu fui um caso meio especial, na primeira vez que eu comi, a minha reação foi “Meu Deus, achei o amor da minha vida!”(eu não sabia saborear, mas gostei muito), mas esse tipo de reação não é muito comum!

O Brasil é o país do “arroz, feijão, bife e batata frita”, é muito normal que se tenha um certo “pé atrás” com a gastronomia japonesa, mas não é motivo para ficar nessa pra sempre! Gastronomia é uma forma de cultura, não é só pra encher a pança.

=D.

Restaurante: HARMONY – São José do Rio Preto

Estava de passagem em SJRP, e passei pelo restaurante Harmony!
Existem 2 unidades desse restaurante na cidade, uma no Centro e a outra no Bairro Redentora, e já frequentei as duas.

Funcionamento
Unidade 1: almoço e jantar.
Unidade 2: jantar.

Harmony 1

Ambiente: intimista, porém o ambiente não é bonito, tem um aspecto antigo, e não é bem cuidado.

Atendimento: bom!

Higiene: não posso afirmar nada em relação a isso, mas o lugar não inspira higiene.

Sushi/Sashimi: bons! Os dois foram bons, nada “dos deuses”, mas foi bom!

Shimeji: não experimentei o shimeji dessa unidade.

Tamanho dos sushis: talvez um pouco maiores do que eu gostaria(pessoal).

Estacionamento: eles não tem, isso é péssimo! O restaurante fica numa das grandes avenidas da cidade, é um transtorno! Acredito que muita gente já tenha desistido de ir a esse restaurante por conta da falta de lugar para estacionar.

Custo&Benefício: mediano.

Conclusão: é um restaurante mediano, não indico para quem quer degustar os sushis/sashimis. É um restaurante para sair com os amigos “Ah, vamos comer uma comida japonesa hoje!”, sem grandes expectativas a respeito.

Combinado de Salmão(Harmony 1)

Obs.: Não gostei da apresentação dessa barca.

Harmony 2

Ambiente: nada intimista! Parece que você está num aniversário de 15 anos, é um salão de festa! É bonito, sim! Mas não segue a tradição gastronômica japonesa no que se diz respeito ao ambiente.

Atendimento: muito bom!

Higiene: me pareceu ser um lugar muito limpo.

Sushi/Sashimi: bons! Eu senti uma diferença entre as duas unidades nesse aspecto: o Harmony 1 é melhor nesse aspecto, mais bem feitinho.

Shimeji: pouco saboroso, e muito líquido onde é servido.

O restante dos tópicos são iguais a primeira unidade!

Rodízio(Harmony 2)

Endereços:

Harmony 1
Avenida Alberto Andaló, 1083 – Centro
São José do Rio Preto.
Delivery: 3222-3445

Harmony 2
Rua Antônio de Godoy, 3995 – Redentora
São José do Rio Preto
Tel: 3222-1216.

Restaurante: KOBAN, Moema – SP

O Koban é um restaurante que começou em Moema no ano de 2006, e agora tem mais 3 unidades:Granja Viana, Saúde e Itaim.

Falar desse restaurante me dá dor no coração, eu AMAVA o Koban, era o restaurante que eu mais gostava! O custo&benefício dele era ótimo, o sushi era muito muito muito BOM! Tudo feito certinho, sabe? Mas eu me decepcionei seriamente, a última vez que fui a esse restaurante foi no começo de Julho(2012), e muita coisa estava diferente! Então o meu post será uma visão após essa decepção.

Ambiente: intimista e de muito bom gosto, como deve ser um restaurante japonês.

Atendimento: é bem melhor no jantar do que no almoço.

Higiene: muito boa.

Sushi/Sashimi: o sabor era sensacional, agora está bem mediano. O nori continua muito bom, mas o sabor do arroz caiu muito de qualidade.

Shimeji: era macio, agora está borrachudinho e tem pedaços de shitake(acho desrespeito, se o cliente pede shimeji, ele quer shimeji e não shitake. Vai que eu sou alérgica a shitake?)

Tamanho dos sushis: perfeito!

Estacionamento: eles tem.

Custo&Benefício: mediano.

Mensagem ao Proprietário(caso ele chegue a ler o post): Eu idolatrava o seu restaurante, gostaria que levasse a minha crítica como construtiva para que o restaurante volte a ter o mesmo nível de antes.

Conclusão: não acho que seja um restaurante ruim, ainda é um bom restaurante, mas para quem frequentava desde a inauguração em Moema(2006), decaiu bastante. Estou sem restaurante preferido por enquanto, o Koban foi o meu preferido desde que ele existe. Acredito que o nível tenha caído por conta de ter em 4 lugares, fica difícil para o dono administrar, e quando o chefe não está, os funcionários não se importam com nada.

Endereços

Unidade Moema
Alameda dos Arapanés, 397
Moema – São Paulo
Tel: (11) 5051-7404

Unidade Saúde
Rua Caramuru, 612
Saúde – São Paulo
Tel: (11) 5072 – 3163

Unidade Granja Viana
Avenida São Camilo, 1530
Granja Viana
Cotia – SP

Site: http://www.restaurantekoban.com.br/

Shimeji

Minha amiga se alimentando alegremente do rodízio no Koban.

Obs.: Deixo claro: só fui na unidade de Moema, nunca frequentei as outras.

Obs 2.: As fotos estão ruins, foram tiradas de celular.

SUSHI ERÓTICO(que rufem os tambores!)

Bom, minha gente,…é né? A gente tem que falar sobre isso, querendo ou não, é cultura!

Sushi erótico é o seguinte: uma mocinha simpática e sem roupas (significa: nua, pra você que é meio burrinho) assume o papel de prato! Ela fica inteira coberta por sushis variados(acho que ela teria problemas com o hot roll, mas enfim), e as pessoas que pedem por esse serviço(que é caro), vão comendo os sushis, fazendo com que  o corpo da moça seja “revelado” aos poucos.
Originalmente, só mulheres que faziam o sushi erótico, mas isso evoluiu no mundo moderno, e homens também podem ser feitos de “prato”.

Minha opinião de ocidental:
Eu acho nojento pra C-A-R-A-M-B-A! É porco, gente! Não é nada higiênico!
Num restaurante nos Estados Unidos, onde eles servem sushi erótico, o dono disse(achando que ia resolver o nojo) “Olha, mas eles tomam banho antes, tá?”…, É O MÍNIMO, NÉ?
Enfim, as pessoas tem todo o direito de acharem bacana ou não, eu só tive que expor a minha opinião, afinal o blog é meu.

Obs.: No primeiro filme de “Sex and the City”, a Samantha faz sushi erótico.

=D.

sushi espalhado: uma opção mais fácil!

No post de hoje, eu vou falar sobre sushi espalhado(Chirashi Zushi) e fazer propaganda de um livro que eu gosto muito! É bem capaz que eu o utilize como fonte para outros posts.

Mas enfim, vamos lá:

Se você adora sushi, quer fazer em casa e se complica na “montagem” do mesmo, esta é uma ótima opção!

Sushi Espalhado é o sushi servido numa tigela! Consiste em arroz e qualquer outra coisa que você usaria para fazer sushis! É o sushi mais fácil de preparar(não exige QI e nem requer habilidade!)! E existem dois tipos!

Gomokozushi(ou “ao estilo Kansai”):os ingredientes são cozidos e misturados ao arroz.

 Edomae Chirashi Zushi (ou “ao estilo Tóquio”)fatias de sashimi arrumadas artisticamente ao estilo Tóquio.

Foto tirada do livro “Sushi: técnicas e receitas” do Kimiko Barber e Hiroki Takemura, lançado pela Publifolha.

Fonte: livro “Sushi: técnicas culinárias e receitas” do Kimiko Barber e Hiroki Takemura, edição da PubliFolha. (Indico este livro para todo mundo que gostar do assunto)

=D.

os nomes dos sushis(e a minha revolta)

Eu sempre ficava sem graça na época em que eu não sabia o nome dos sushis, e quando eu ia pedir, tinha que ficar explicando “ó, eu quero aquele que tem o peixe no meio, mas o arroz é pra fora e a alga é pra dentro”, dai o garçom me olhava dando risada e falava “o uramaki, moça?”, dai eu concordava com ele e ficava me sentindo burra. Com o tempo eu fui aprendendo, comprei livros e etc. Depois de ir em vários restaurantes, eu percebi a imbecilidade da minha super pesquisa: os cardápios de restaurantes japoneses não obedecem os nomes originais! Por exemplo, você sabe o que é filet mignon ao molho madeira, não sabe?(se não sabe, procura no google, eu não vou explicar)Então, é como se você olhasse o cardápio de um restaurante e se deparasse com “Filet Mó Delícia do Bosque Mágico”, você faz uma cara de merda e pergunta para o garçom “Por favor, o senhor pode me explicar o que vai neste filet?”, e o garçom te responde “É filet mignon ao molho madeira”……,………,……QUAL É O PROBLEMA DESSAS PESSOAS?! Não é muito mais simples escrever o nome correto? Com restaurante japonês isso é muito frequente! Em cada restaurante o hot roll tem um nome diferente, e isso me deixa inconformada! Depois de o prato do rodízio acabar, eu peço “Por favor, eu gostaria de mais hot roll”, e o garçom fala “Mais seilaoqMAKE?”, ¬¬. Conclusão: eu continuo me sentindo idiota do mesmo jeito.

Mas chega de historinhas e vamos ao que interessa, os nomes dos sushis mais clássicos! Os mais rebuscados não vale a pena saber, porque nos restaurantes eles mudam mais ainda.

Hossomaki: apenas um recheio(pode ser de salmão, atum, pepino, kani,…,…) é um sushi pequeno, simples, clássico! O nori envolve o arroz, e este envolve o recheio.

Nigirizushi(o “niguiri”, não precisa complementar com “zushi” quando for falar): é um “tijolinho” de arroz com algum peixe em cima.

Uramaki: é o sushi “embalado” ao contrário, em vez de a alga envolver o arroz, o arroz envolve a alga, e tem gergelins na parte de fora.

Califórnia: é o uramaki na versão americana, o recheio normalmente é:  kani, pepino e manga ou acabate.

Futomaki: é um “hossomakão” com mais de um recheio, esses que normalmente são: omelete, pepino, maionese, abacate, alface, camarões e lulas.

Hot Roll: recheado com salmão e cream cheese, ele é empanado e então é acrescentado molho tarê em sua superfície.

Joe/Jyo/Djow/Joy/John/Johnw/João(esse último é brincadeira): é o arroz envolvido por salmão e com uma mistura de salmão/cream cheese/cebolinha na sua superfície. Esses nomes no tópico são os prováveis que você irá encontrar em um cardápio, mas basta pronunciar “Djow” para o garçon, ele vai entender.

Sashimi: não é sushi, é simplesmente o filete de peixe cru, que normalmente são: salmão, atum, peixe prego(um peixe branco e macio), tilápia(branco com manchas rosadas, um pouco mais rígido que o prego) e polvo.

Temaki: é o sushi em forma de cone, onde o recheio fica apenas na parte externa.
Embora algumas pessoas discordem, ele faz parte da “família” dos sushis.

Obs.: Nem todas as fotos foram tiradas por mim, mas iriei substituir em breve essas que não são de minha autoria.

=D.

evitando pequenos transtornos

O conteúdo desse post pode parecer bem idiota, mas são dicas para que se evite pequenos transtornos, e quando eles acontecem, não são tão idiotas assim.

Hashi(Palitinhos):
Muitas pessoas não sabem usar o hashi, e isso faz com que se envergonhem e deixem de ir ao restaurante, mas ninguém deve se envergonhar, isso é bastante comum!
Na etiqueta japonesa, o hashi é necessário apenas para o sashimi, o sushi (originalmente) é para ser comido com as mãos, por isso que em bons restaurantes, eles dão uma toalha bem quente para que você limpe as suas mãos, ou seja, você sempre terá essa opção.
Existem também hashis com elástico, coisa que facilita a vida de muita gente que ainda não está habituada com os “palitinhos”.

Preços:
É legal comentar que: sushi não é arroz e feijão! Salmão/atum/etc não é mortadela! Não é uma cozinha barata! Tire essa coisa de brasileiro pobre da cabeça, e pare de ficar reclamando de preço! Tem restaurantes que abusam, isso é fato! É horrível quando a conta chega e você é surpreendido por um valor muito maior do que esperava, e para evitar esse transtorno, se informe sutilmente sobre a faixa de preço, e não vá ao restaurante e crie caso com o garçom porque achou tudo muito caro, isso é grosseiro.
Em restaurantes bons, a média de custo de rodízios fica entre 30 e 70 reais, é claro que existem restaurantes bem mais caros e de alto padrão, mas prefiro falar sobre coisas mais acessíveis.

Roupas:
Tente evitar roupas de cor clara, parece frescura, mas não é(mesmo assim, muita gente vai achar que é)! Quando você vai a algum restaurante japonês, sempre existe uma alta probabilidade de “babar” shoyu na sua roupa. Se for almoçar num restaurante japa e depois voltar para o trabalho, você vai ficar visivelmente sujo o dia todo.
O que tira mancha de shoyu é nabo! Se caiu shoyu na sua roupa, peça para algum funcionário do restaurante te trazer um pouco de nabo, esfregue em cima do local sujo e fará com que não manche.
Esse tópico é apenas um conselho, nada te impede de ir a um restaurante com um vestido de noiva.
Obs.: se o restaurante for self service, evite deixar a comanda ao lado do potinho com shoyu, sua comanda vai virar um dálmata.

Água:
Depois de comer em um restaurante japonês, sempre peça uma água, shoyu tem muito sódio(faz mal para a saúde), e isso fará com que você sinta muita sede(a boca fica seca) após uma hora ou até menos.

Wasabi:
É uma pastinha verde e bonitinha, sempre tem nos restaurantes! Em poucas quantidades, é uma delícia como tempero, mas em grandes quantidades…, você vai passar por uma atividade extracorpórea onde tudo o que passa pela sua cabeça é “Preciso cuspir essa merda!”! É uma pasta de raiz forte, ou seja: é forte!
Lá vai uma dica: se você estiver com o nariz entupido num restaurante japonês, coloque um tanto considerável de wasabi na boca e mastigue, é bem provável que você volte a respirar, talvez depois de lacrimejar e etc, mas vai melhorar a sua respiração. De qualquer modo, eu prefiro ir a farmácia e comprar um remédio.

=D.

o arroz, o peixe, a alga e o tamanho do sushi

Para complementar as informações do post anterior, resolvi escrever um texto sobre os fatores principais, os quais eu mais levo em consideração para avaliar um sushi/sashimi.

Arroz:
Na minha opinião, é a coisa mais importante! É difícil encontrar um lugar onde eles utilizam o arroz correto(o gohan), que é um arroz branco e de grão curto, parece bolinha de PVC! Esse arroz é muito singular no que se refere a sabor/textura/consistência.
O gohan é naturalmente mais “papa” que os “tio joão” da vida, quando o sushi não é preparado com o gohan, o arroz(o mais comum aqui no brasil, que o grão é mais longo) para ficar “papa”, fica mais úmido do que deve, fazendo com que o nori emborrache! E quando o arroz está enfriando, ele endurece, tirando a maciez que é necessária no sushi.
A maioria dos restaurantes misturam o gohan com arrozes mais baratos, e também porque não é encontrado com extrema facilidade aqui no Brasil.
O arroz deve ser ligeiramente adocicado, caso contrário, ele não harmoniza com o sabor da alga e do peixe. Aqui no Brasil isso é um pouco complicado, pois os brasileiros estranham o sabor do gohan, quando uma pessoa que não é acostumada com comida japonesa me indica um restaurante, eu fico com o pé atrás, porque é bem provável que o arroz não seja do jeito que é para ser, o brasileiro não lida bem com o arroz adocicado.

Peixe:
TEM QUE SER FRESCO, é regra e não “uma coisa que eu gosto desse restaurante é que o peixe é fresco”! Se o peixe não é fresco, vai embora! É falta de respeito com você, que é cliente! A chance de você passar mal aumenta consideravelmente, e além do que, o peixe que não é fresco tem um sabor diferente em relação ao que é fresco, e é enjoativo. No caso de salmão, se ele está avermelhado demais e opaco, já era!
O corte do peixe é bastante importante, se você pegar um sashimi e perceber que ele está desmanchando, isso significa que ele foi cortado errado, para muitos não altera o sabor, mas a textura sim, e eu considero a textura como parte do sabor.
Já vi alguns restaurantes deixarem o peixe exposto a temperatura ambiente(considerando uns 25ºC) e o peixe fica ruim, ele amolece e o sabor é alterado. Além do que, é uma questão de higiene, micro-organismos começam a se reproduzir mais rapidamente(já que o peixe é cru, tem maior presença de água em relação ao que passa por algum método de cocção, e quanto mais água, mais os micro-organismos se reproduzem), ou seja, o peixe começa a ser contaminado rapidamente, e isso pode fazer o cliente passar muito mal.

Alga(Nori):
Ela deve ser verde escuro, quanto mais clara, menos qualidade!
A crocância da alga está intimamente ligada ao preparo do arroz,que se este estiver quente na hora do preparo do sushi ou muito úmido, a alga emborracha. É péssimo quando você vai comer um sushi e o nori está borrachudo, fica parecendo um chiclete, o arroz já desceu e o peixe também, e o nori tá lá na boca, sendo mascado.
Encontrar alga borrachuda é o segundo fator mais comum dos restaurantes japoneses, muitas pessoas falam que não gostam de sushi porque, provavelmente, comeram um sushi ruim.
Obs.: o nori é bom para quem tem colesterol alto, não é milagroso, mas ajuda.

Tamanho do Sushi:
Eu fico inconformada com o tamanho de alguns sushis, da vontade de falar “moço(a), você sabe que eu vou comer isso, né?!”. A pior coisa que tem é quando você vai comer um sushi e metade dele fica pra fora da boca, é muito deselegante!
Enfim, no caso de restaurantes que trabalham com self service, isso é bastante comum e compreensível! Um restaurante que opta por isso, tem clientes que querem comer, não degustar! É para comer sushi, não pagar caro e ser feliz, ou seja, não há necessidade de ser “O SUSHI”!
Em todo caso, fazer uma argamassa em vez de arroz, também não é legal. Nesse tipo de situação, não fique com receio porque algumas pessoas vão te olhar com cara de “que blasfêmia!”, corte o sushi em 2 e seja feliz, o sushi que foi feito de modo errado, a culpa não é sua, ué!
No Japão, o sushiman é mais sensato, ele olha o tamanho da sua boca para preparar o sushi, aumentando a probabilidade de sucesso em relação a isso.

Uma Dica:
Quando eu vou a um restaurante japonês, eu sempre fico meio “Será que eu fiz um bom negócio vindo aqui? Será que o sushi é bom?” e fico na espera de ser surpreendida ou não, então o primeiro sushi que eu experimento é o hossomaki(de salmão ou atum), eu considero esse sushi como o resumo de todos os outros sushis, ele é o mais simples e tem tudo o que eu gosto de avaliar: arroz, alga e peixe. Se o hossomaki é ruim por inteiro, todos os outros serão ruins também! Mas se o problema for a alga, eu priorizo sushis que não a tenham e as vezes fico só no sashimi.
Entretanto, mesmo se o hossomaki for um fracasso, o hot roll talvez não seja! Já que é um sushi empanado, com cream cheese e molho tarê, é difícil ele ser ruim, só o fato de ele ser empanado já concerta vários problemas! Aliás, recomendo o hot roll para quem nunca comeu sushi e fica meio “assim” com o fato de o peixe ser cru.

=D.